quarta-feira, julho 14

Sem Inspiração


Foto - Aldo Sá Brito, poeta e guerrilheiro da ALN


Acontece de vez em quando. Acordo, tomo um café preto para despertar os sentidos, sento diante do teclado e da tela, e nada sai. Penso no que aconteceu no dia anterior, passeio pela internet, levanto, tomo mais um café, acendo um cigarro, volto à cadeira, e nada. Hoje é um desses dias. Talvez seja o caso escabroso do desaparecimento de Eliza Samudio, sobre o qual não dá vontade nem de ler, muito menos de escrever, ou a condenação ao apedrejamento de Sakineh Mohammadi Ashtiani, sei lá. Uma, segundo testemunhos, enforcada e comida pelos cães, outra que será apedrejada, se a campanha internacional, à qual já aderi, não sensibilizar os governantes de seu país. Crueldade e covardia. Uma cometida por um bando de prepotentes arrogantes, outra por um governo.

Nessas horas costumo aliviar-me no passado, por isso trago a foto de Aldo Sá Brito, poeta e guerrilheiro da ALN, combatente da liberdade. É isso aí, companheiro, foi contra tudo isso que você lutou. Lembra do Luiz Afonso sonhando com o carnaval da vitória? Pois é, esse grande carnaval não existe. Tive tempo de vida para compreender isso. A cada conquista sonhamos com novos moinhos, novas canções são escritas e novos poemas declamados. Mas nada nos tira os pequenos carnavais do dia a dia, quando comemoramos as vitórias que vamos conquistando.

Até sempre.

2 comentários:

Blogat disse...

Felizmente,e,necessáriamente,"nada nos tira os pequenos carnavais do dia a dia,quando comemoramos vitórias que vamos conquistando"...só com tempo de vida compreendemos,e apreendemos isto.
MARAVILHOSO. Bj

Luiz Claudio Cunha Souza disse...

Me chamou atenção no teu texto a "volta ao passado para se aliviar". Pensei nisto hoje mesmo na escola em que meu filho estuda quando fui buscá-lo e onde não há um só pai consciente políticamente ou mesmo interessado em questionar qualquer coisa que seja. Sempre que posso, na internet principalmente com algumas pessoas de esquerda que insistem em criticar este governo que aí está, por suas alianças ou lentidão na solução de alguns problemas, procuro alertar que entre as mais nefastas consequencias do golpe de 64 está a mudança na cultura do povo, hoje bem mais individualista, alienado e discrente da política. E que tomemos como exemplo algumas concessões feitas pelo governo Lula encontrarem aí as suas causas. A derrubada de João Goulart não alterou apenas os rumos da economia mas também mentalidades. Esta revolução cultural que precisamos fazer no brasil se dará como você diz, com o aprofundamento da democracia, prioritariamente na educação e no setor das comunicações. E não posso perder a oportunidde de parabenizá-lo pela candidatura e por nos dar a oportunidade de eleger um herói de verdade para o congresso nacional. A luta continua.

Arquivo do blog